Faça seu login ou cadastre-se
0
Seu Carrinho está vazio
Navegue por nossa loja e encha seu carrinho com as melhores ofertas!
Mais Visões

Refletor LED Nautilus BRANCO Inox O'Ring com encaixe em tubo de 3/4

DECORAÇÃO, TECNOLOGIA E SEGURANÇA COM O REFLETOR LED BRANCO LATÃO O'RING COM ENCAIXE EM TUBO DE 3/4"


O Refletor LED Branco Latão Nautilus O'Ring com encaixe em tubo de 3/4" é produzido em latão cromado, para instalação em piscinas de concreto ou alvenaria.
Os refletores de LED Nautilus são compactos, contam com potência de 9 W cada, considerando todas as cores acesas e o seu ângulo de abertura do refletor é de 120⁰. O dimensionamento indicado é de 1 refletor para cada 15 m² de área da piscina, podendo ser alterado conforme as características da piscina, local de sua instalação e o efeito de iluminação desejado.
Para a instalação dos Refletores LED da Nautilus é indispensável a utilização do Módulo Controlador Nautilus com o Transformador Nautilus, de acordo com a quantidade de refletores (até 5 Refletores - requer instalação de 5 Ampères e de 6 à 10 refletores, transformador de 10 Ampères). A tensão de entrada no transformador Nautilus de 127 Vac ou 220 Vac e a tensão de saída no transformador é de 12 Vac e no módulo, a tensão de saída é 12 Vcc.
O Refletor LED BRANCO Latão O'Ring com encaixe em tubo de 3/4" tem a opção da cor em branco, com diversos efeitos de iluminação, como “piscando”, “estrobo”, “estático”, “efeito arco-íris”, “fade in” e “fade out”.
O Refletor LED BRANCO Latão O'Ring com encaixe em tubo de 3/4" é equipado com um cabo de 2,0 m de comprimento padrão de fábrica.
Os dispositivos de iluminação em LED da Nautilus oferecem a possibilidade de personalizar a decoração da sua piscina com sofisticação e estilo. Produzido com a tecnologia Superled, os dispositivos garantem iluminação RGB e monocromática branca ou azul. Basta escolher as cores e os efeitos que combinam com o seu ambiente. Os produtos garantem personalização e sofisticação a qualquer tipo de projeto de piscina e possuem maior vida útil e baixo consumo de energia elétrica, tornando-se a solução ideal para quem busca tecnologia e inovação.
Os refletores de LED Nautilus são de fácil instalação, alta eficiência, maior vida útil e baixo consumo de energia elétrica e oferecem personalização e sofisticação para todos os projetos de iluminação de piscinas. Seguem rigorosamente a NBR 5410 de instalações elétricas de baixa tensão, como o uso de transformador e não da fonte chaveada. Contam com garantia de 1 ano.

Veja o manual do produto.

Encontrar revenda

Características do produto

Informações Adicionais

SKU 21460018
Potência do Led 9W
Tensão 220 Vac
Potência 9 W
Altura SKU 9 mm
Largura SKU 38 mm
Artigos relacionados
Artigos Relacionados
  1. Paisagismo: 5 dicas de decoração para piscina usando plantas

    01/10/2018 13:10

    Além de ser um espaço de lazer, onde família e amigos vivem momentos inesquecíveis, o lar é também um refúgio da agitação cotidiana, um lugar para...

    Além de ser um espaço de lazer, onde família e amigos vivem momentos inesquecíveis, o lar é também um refúgio da agitação cotidiana, um lugar para relaxar e renovar as energias. Por isso, é comum que a decoração para piscina reproduza a harmonia e tranquilidade da natureza.

    Não por acaso, as plantas são sempre uma ótima opção para enfeitar essa área. Afinal, são elas que conferem ao ambiente um ar mais natural, a exemplo das palmeiras, que são bastante utilizadas, especialmente por remeter a locais de clima tropical.

    Porém, a escolha deve ser cuidadosa, a fim de se evitar problemas e tornar o espaço mais convidativo e acolhedor. Você conhece as plantas ideais para esse ambiente e as precauções necessárias?

    Para te ajudar a aproveitar ao máximo a sua área externa, apresentamos aqui 5 dicas de decoração para piscina usando plantas. Não perca!

    #1 Muito cuidado com as árvores frutíferas

    As árvores frutíferas são charmosas e geralmente produzem uma boa sombra. No entanto, essas espécies não são as mais adequadas na decoração para piscina. Afinal, os frutos podem cair, sujando tanto o piso quanto a própria água.

    Além disso, esse tipo de árvore pode causar acidentes. Imagine, por exemplo, um coqueiro carregado. O risco de um coco cair de lá de cima é alto e melhor que seja evitado. Nesse caso, o ideal é cultivar uma palmeira, que tem estética parecida e oferece mais segurança.

    Apesar de ainda não ser o mais apropriado, as árvores com frutos menores e mais leves podem ter uma relação harmoniosa com o espaço da piscina. Para isso, é indicado utilizar uma capa de proteção. Assim, evita-se que os frutos caiam sobre a água, ao menos enquanto a piscina estiver desocupada.

    #2 Opte por plantas que não soltem tantas folhas

    Arbustos e árvores, incluindo as frutíferas, podem soltar muitas folhas e flores em determinadas épocas do ano. São as chamadas árvores caducifólias. Os ipês, por exemplo, são encantadores, mas também fazem muita sujeira.

    Plantas assim não são nada indicadas na decoração para piscina, pois podem dar muito trabalho. O ideal é optar por espécies que não soltem tantas folhas e flores, isto é, com folhagem perene. Entre as opções estão a palmeira-fênix, a jerivá e a strelitzia.

    No projeto paisagístico abaixo, é possível notar como as palmeiras são utilizadas para dar a sensação de clima tropical à área da piscina:Piscina com decoração

    Agora, se a árvore já estava lá antes da piscina, você não precisa cortá-la. Existem outras soluções, como a utilização de uma capa de proteção ou o Catafolhas Nautilus, que facilita a limpeza, retirando da água o excesso de folhas no processo de aspiração.

    #3 Evite árvores de grande porte ao redor da piscina

    Evitar as árvores de grande porte é uma das mais importantes dicas de decoração para piscina. Além dos problemas com os frutos e as folhas, há um outro aspecto que não é tão evidente: as raízes. E o pior é que muitos só se dão conta desse problema quando já é tarde demais.

    Algumas espécies possuem raízes fortes, profundas e bastante agressivas. Conforme a árvore cresce, elas se espalham pelo solo, podendo prejudicar a estrutura e causar rachaduras nas paredes da piscina.

    Entre as árvores que devem ser evitadas por esse motivo estão:

    • Ficus
    • Flamboyant
    • Eucalipto
    • Paineira-rosa
    • Álamo
    • Grevílea
    • Tulipeira

    Muitas outras possuem essa mesma característica. Portanto, antes de escolher uma árvore para a área da piscina, procure saber mais sobre a espécie e conte sempre com a orientação de profissionais.

    #4 Valorize arbustos e árvores de pequeno porte

    Se as árvores de grande porte não são as mais recomendadas, as menores são geralmente uma ótima alternativa. Elas ajudam a compor a paisagem ao redor da piscina, dando cor, sombra e até tornando um ambiente mais fresco.

    Confira um projeto que valoriza os arbustos no entorno da piscina:

    Piscina com plantas

    No entanto, ao escolher uma pequena árvore ou arbusto para este ambiente, certifique-se de que a espécie não produz espinhos. Tão importante quanto isso é verificar se a planta bonita que você escolheu não é venenosa, pois as crianças são atraídas pela beleza dessas folhagens e podem ficar expostas a graves riscos de saúde. Afinal, este deve ser um espaço onde as crianças poderão brincar livremente e os adultos poderão circular sem preocupação.

    Veja algumas espécies que são bastante indicadas para a área da piscina, tanto por sua praticidade e segurança quanto por sua beleza:

    • Heliconias
    • Dragoeiro
    • Pata-de-elefante
    • Jasmim-manga
    • Coco-anão
    • Palmeira triangular

    #5 Inclua outros elementos na decoração para piscina

    O projeto paisagístico de uma decoração para piscina não se resume à inserção de plantas no ambiente. Há uma série de outros elementos que podem ser trabalhados junto às árvores e arbustos.

    A iluminação, por exemplo, é fundamental para realçar a beleza das plantas durante a noite. As pedras também podem ser utilizadas para compor o espaço, dando um ar mais natural ao ambiente.

    Além disso, a madeira é outro elemento que funciona muito bem ao redor da piscina. Ela pode ser usada em decks e até em móveis, como cadeiras, mesas e espreguiçadeiras. Veja como essa composição ficou neste projeto:

    Projeto de piscina com decoração

    Unindo tudo isso, é possível tornar a área ao redor da piscina ainda mais agradável e aconchegante - sem contar que o projeto paisagístico agregará mais valor ao ambiente e a todo o imóvel!

    Quer saber mais? Então baixe gratuitamente o e-book "Piscina como valorização do imóvel", que preparamos para você!

    O post Paisagismo: 5 dicas de decoração para piscina usando plantas apareceu primeiro em Nautilus.

  2. Como tornar uma piscina acessível a pessoas com deficiência

    14/09/2018 12:09

    Os momentos com a família e os amigos na piscina costumam ser cercados de muita descontração e alegria, e por essa razão torna-se prioritário...
    Piscina Acessível
    Os momentos com a família e os amigos na piscina costumam ser cercados de muita descontração e alegria, e por essa razão torna-se prioritário garantir que todos – todos mesmo! – tenham condições de  aproveitar este espaço mágico de lazer. Deve-se pensar principalmente nas pessoas que possuem necessidades especiais, para as quais momentos inesquecíveis de diversão tornam-se tão importantes para eventual recuperação ou equilíbrio físico e emocional. Por isso, uma piscina acessível é fundamental! Especialmente nos espaços públicos, como clubes, academias, hotéis e condomínios, a acessibilidade deve ser tratada como prioridade. Afinal, o local deve estar preparado para receber todo tipo de pessoa. Já nos espaços particulares, é mais comum que essa preocupação apareça quando o convívio com pessoas com deficiência é frequente. De qualquer forma, podem surgir muitas dúvidas na hora de tornar uma piscina acessível. Mas não se preocupe! Foi por isso que criamos este post, em que apresentamos a você os principais pontos que devem ser levados em conta. Confira a seguir!

    Por que ter uma piscina acessível e segura para todos?

    Quando falamos de acessibilidade, estamos falando também de segurança. Uma piscina acessível conta com uma série de recursos que são úteis não só para pessoas com deficiência, mas também para idosos, crianças e até pessoas com lesões temporárias. Além disso, uma piscina acessível é capaz de promover a inclusão, integrando pessoas com e sem deficiência no mesmo espaço. Isso auxilia no convívio social e até eleva a autoestima de quem tem necessidades especiais. Sem contar que, no caso das piscinas públicas, transmite respeito ao consumidor e comprometimento com a inclusão.

    O que dizem as normas sobre acessibilidade em piscinas?

    Você sabia que a mesma lei que prevê acessibilidade em prédios públicos e comerciais também vale para as piscinas? Estamos falando da lei número 10.098, regulamentada por meio de um decreto presidencial assinado em 2004. O documento determina que todos os espaços de uso comum tenham acessos pensados para atender às necessidades especiais de pessoas com deficiência. E tudo isso deve ser feito conforme os padrões estabelecidos pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Veja quais são as adaptações previstas pela ABNT para tornar uma piscina acessível e segura a todos:

    Piso antiderrapante

    Ao montar uma piscina acessível, é preciso pensar, também, em seu entorno. E água no chão pode ser um convite a acidentes. Por isso, a primeira recomendação da ABNT diz respeito à superfície do piso ao redor das piscinas. De acordo com a norma, o pavimento não pode ser escorregadio. No entanto, isso não significa que a superfície deva ser extremamente abrasiva, ou seja, como uma lixa. O mesmo vale para o revestimento do piso no interior da piscina. O ideal é investir em materiais adequados para estes ambientes, de preferência atérmicos, isto é, que não esquentem mesmo em contato constante com o sol.

    Escada ou rampa submersa

    O acesso ao interior da piscina deve ser facilitado às pessoas com deficiência. Para isso, existem alternativas como a instalação de rampas e escadas. Essas opções são interessantes por permitir a entrada gradual e em segurança na água. Em ambos os casos, é fundamental instalar corrimãos de três níveis dos dois lados da rampa ou escada. As alturas de cada nível devem ser de 45, 70 e 92 centímetros, segundo recomendação da ABNT. Além disso, a norma prevê uma distância mínima de 80 centímetros e máxima de 1 metro entre os corrimãos. Assim como no fundo da piscina, o revestimento da rampa e dos degraus também deve ser antiderrapante.

    Elevador ou banco de transferência

    Os elevadores facilitam o acesso à piscina, especialmente para pessoas com mobilidade reduzida, que necessitam de cadeira de rodas. Por meio dela, é possível descer ao interior da piscina até chegar a uma profundidade segura para deixá-la e começar a nadar. Outra alternativa é o banco de transferência. O mecanismo é semelhante a um elevador. A diferença é que, neste caso, a pessoa deixa a cadeira de rodas fora da piscina e senta-se em um banco, que desce para colocá-la em segurança na água, facilitando também a sua saída.

    Bordas e degraus seguros

    Outra orientação da ABNT é sobre o formato das bordas e degraus. Segundo a norma, todas as arestas devem ter acabamento arredondado de modo a evitar que pequenos acidentes possam causar graves ferimentos. Recomenda-se ainda a instalação de barras de apoio em todas as bordas internas da piscina. O ideal é que o equipamento seja instalado na altura da água, em locais que não prejudiquem o acesso. Viu como não é tão difícil ter uma piscina acessível? Para saber ainda mais sobre o tema, não deixe de conferir nosso post "Segurança na piscina para pessoas com deficiência"! [widget id="media_image-6"]

    O post Como tornar uma piscina acessível a pessoas com deficiência apareceu primeiro em Nautilus.

  3. Reforma de piscina: como fazer?

    05/09/2018 11:09

    Só existe uma coisa melhor do que dar um mergulho em uma piscina: dar um mergulho em uma piscina novinha em folha! Seja para fazer manutenção ou,...
    Reforma da Piscina Só existe uma coisa melhor do que dar um mergulho em uma piscina: dar um mergulho em uma piscina novinha em folha! Seja para fazer manutenção ou, simplesmente, para dar uma atualizada no visual, a reforma da piscina é um procedimento que, eventualmente, se mostrará indispensável. Porém, são necessários alguns cuidados a fim de que essa reforma seja, de fato, efetiva e não fique no caminho da diversão. Pensando nisso, separamos algumas informações essenciais que você deve ter em mente para realizar a reforma adequada da sua piscina e deixar tudo renovado para curtir com a família e os amigos! Vamos lá?

    Por que reformar a piscina?

    Mesmo não sendo recorrente, alguns aspectos da piscina precisam de reparos e, eventualmente, substituições. As piscinas de vinil, por exemplo, ficam de cara nova com a instalação de um novo bolsão vinílico. Piscinas de fibra de vidro podem ser totalmente recuperadas com uma pintura de revitalização. Já as piscinas de azulejo inevitavelmente precisarão de atenção quando começarem a soltar os azulejos do fundo e das paredes. Ou seja, independente do tipo da piscina, ela pode, em algum momento da sua vida útil, apresentar alguma necessidade de reforma. Além disso, gostos e tendências mudam e pode ser que aquela piscina maravilhosa de uns anos atrás já não pareça mais tão atrativa. Sabendo disso, é fundamental ser proativo, planejando com calma e escolhendo um bom momento para reformar sua piscina, para evitar que esses problemas surjam justo quando você mais quiser desfrutar do ambiente, certo?

    Qual a melhor época para reformar a piscina?

    O maior impasse que pode haver durante a reforma da piscina é a ocorrência de chuvas e tempestades. Apesar de já termos tecnologia para realizar alguns reparos subaquáticos, como a substituição de azulejos ou mesmo a remoção de furos no vinil, a época da estiagem, que geralmente ocorre no outono e no inverno, ainda é a melhor opção para quem quer reformar a piscina. Vejamos a troca do vinil, por exemplo: se sua intenção é retirar o vinil antigo e fazer a instalação de um novo, é melhor fazê-lo num dia sem chuvas e sem ventos fortes. Caso contrário, pode acontecer de pedriscos irem para a parte de trás do novo bolsão, o que ocasionará furos na sua piscina. O ambiente ao redor de uma piscina de vinil precisa estar muito limpo e sem poeira, areias ou pedriscos durante tempo de uso normal da piscina, mas atenção especial precisa ser dada a esses detalhes principalmente antes de iniciar a troca do material - justamente para evitar que sujidades se infiltrem entre o vinil e a parede da piscina, ocasionando problemas futuros. É claro que essa recomendação não é uma regra. Num país com dimensões continentais como o nosso, a ocorrência das chuvas não é a mesma em todo o território. Por isso, é preciso observar o período de estiagem do local onde você mora e pensar na reforma da sua piscina como um projeto para ser executado dentro deste período. Outro ponto interessante é que, como as vendas do setor também esfriam neste período do ano, é comum a oferta de condições especiais e descontos para o “outono-inverno”. Essas condições são favoráveis para encontrar bons preços em lojas especializadas que fazem promoções para manter o fluxo de clientes num período conhecido pela queda nas vendas.

    Profissionais necessários para reformar a piscina

    Como se trata de um projeto delicado, a reforma da piscina precisa ser planejada e executada por profissionais especializados, como arquitetos, técnicos e engenheiros. Afinal, os componentes da piscina - seus acessórios e equipamentos, desde os usados na iluminação até os responsáveis pela limpeza da piscina, passando pelo aquecedor e pelo gerador de cloro, por exemplo - cada um desses equipamentos demanda um conhecimento técnico específico para seu manuseio e manutenção. Já com o suporte de um engenheiro e de um arquiteto, você saberá qual é a melhor época para executar a reforma, considerando o tempo que será requerido, bem como os melhores procedimentos, materiais e quais projetos são viáveis, dependendo dos seus planos.

    Reformas comuns na piscina

    Dentre todas as possíveis reformas no ambiente da piscina, existem algumas com as quais você certamente lidará com maior frequência:

    Reformas em piscinas de azulejos

    Existem dois motivos especialmente recorrentes que fazem com que essa reforma seja inevitável: a necessidade de substituir os azulejos e a necessidade de substituir o rejunte. Com o passar do tempo, os azulejos (ou as pastilhas) podem começar a se soltar e o ideal é planejar uma época específica para recolocá-los de uma vez.

    Reformas em piscinas de vinil

    As piscinas de vinil, mais cedo ou mais tarde, também vão precisar de uma reforma. Isso acontece, dentre outros motivos, devido à vida útil do bolsão. A maior parte dos fabricantes dizem que o bolsão de vinil dura em torno de 10 anos, logo, ao menos a cada década, será necessário parar a piscina por algumas horas para a instalação de um novo bolsão. O lado positivo desta história é que, de tempos em tempos, você terá a oportunidade de “trocar a roupa” da piscina, alternando entre diferentes estampas. Hoje, existem modelos maravilhosos, desde os que simulam a Pedra Hijau aos mais tradicionais, que simulam pastilhas de vidro. As possibilidades são super variadas!

    Reformas em piscinas de fibra de vidro

    Assim como as piscinas de vinil, as de fibra de vidro também apresentam uma durabilidade limitada, girando em torno de 10 anos, de acordo com o fabricante. Periodicamente, você terá que fechar a piscina para lixar e refazer a pintura da fibra de vidro que, com a ação dos raios solares, do cloro adicionado à água e do próprio passar do tempo, vai perdendo sua cor e ficando opaca, desbotada. Eis aí uma ocasião em que é possível aproveitar a interdição da piscina para conversar com o arquiteto e buscar alterações que contribuam para gerar ainda mais conforto à sua área de lazer, como a facilitação do tratamento da água através de equipamentos automatizados, sendo um bom exemplo o gerador de cloro, ou equipamentos que aumentem segurança da piscina, como o SafeSwim.

    Vamos reformar?

    A reforma da piscina pode ser encarada de várias formas: pode ser um momento para realizar os reparos necessários, instalar novos equipamentos para facilitar sua vida, aumentando seu conforto, e pode, também, ser uma oportunidade de mudar um pouco o visual da piscina para algo mais moderno e alinhado com seu gosto atual. O importante é contar com o auxílio de especialistas para que a diversão e os bons momentos estejam garantidos por muito mais tempo! Se inspirou a reformar sua piscina? Então não deixe de conferir nosso material exclusivo sobre como a piscina valoriza o imóvel e entenda por que uma área de lazer novinha em folha é sinônimo de bem-estar! [widget id="media_image-10"]

    O post Reforma de piscina: como fazer? apareceu primeiro em Nautilus.

Solicitar Orçamento:
Solicite seu orçamento através do formulário abaixo.
Se preferir, entre em contato diretamente pelo telefone ou e-mail.
  • Aproveite e cadastre uma senha abaixo para ter acesso completo ao maior Portal de Lazer do Brasil